Fórum Estadual de Alagoas

  • Noticias

  • Agenda

  • Biblioteca

  • Contato

Notícia

14/03/2017 19:07:12 - Atualizado em 14/03/2017 19:17:22


Prefeito de Maceió recebe integrantes de fórum de combate ao trabalho infantil

Rui Palmeira recebe as representantes do Fórum Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Adolescente Trabalhador

O prefeito Rui Palmeira recebeu, na tarde desta terça-feira (14), representantes do Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Adolescente Trabalhador em Alagoas (Fetipat). Durante a reunião, foi apresentada a pauta de ações do fórum e solicitado apoio da Prefeitura aos trabalhos de defesa dos direitos das crianças e adolescentes.

Rui Palmeira recebe as representantes do Fórum Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Adolescente Trabalhador. Foto: Pei Fon/ Secom Maceió

Rui Palmeira recebe representantes do Fórum Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Adolescente Trabalhador. Foto: Pei Fon/ Secom Maceió

Rui Palmeira destacou as ações da Prefeitura voltadas à proteção da infância, destacando o fortalecimento dos conselhos e a qualificação dos conselheiros tutelares em Maceió. “Este momento é importante para saber como o Município pode fazer mais. Já mudamos o modo de escolha dos conselheiros tutelares, pensando na melhoria da execução das tarefas. Queremos pessoas com nível superior para dar mais qualidade ao serviço”, disse Rui Palmeira.

Rui Palmeira recebe as representantes do Fórum Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Adolescente Trabalhador. Foto: Pei Fon/ Secom Maceió

Rui Palmeira recebe as representantes do Fórum Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Adolescente Trabalhador. Foto: Pei Fon/ Secom Maceió

A coordenadora-geral do Fetipat e representante do Ministério do Trabalho/SRTE-AL, Railene Cunha Gomes, destacou a importância do encontro para o fortalecimento das ações de combate ao trabalho infantil em Maceió. “Viemos trazer propostas para buscar combater a prática irregular da exploração do trabalho infantil. O prefeito, junto com os secretários de Assistência Social, Saúde e Educação, comprometeu-se a tocar essa pauta de forma interligada”, destacou.

Railene Cunha - Coordenadora geral do  Fórum Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Adolescente Trabalhador.  Foto: Pei Fon/ Secom Maceió

Railene Cunha – Coordenadora geral do Fórum Estadual de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Adolescente Trabalhador. Foto: Pei Fon/ Secom Maceió

Também participaram da reunião a procuradora Virginia de Araújo Gonçalves Ferreira, da coordenação colegiada do Fetipat (Ministério Público do Trabalho/PRT 19ª Região) e Juliana Vergetti, chefe de Gabinete da Prefeitura de Maceió e coordenadora da Plataforma dos Centro Urbanos (PCU) do Unicef.

“Estamos nos unindo ao Ministério Público do Trabalho e a diversos outros órgãos para fortalecer essa rede de proteção aos direitos da criança e do adolescente. Maceió tem uma parceria muito forte com o Unicef e o Pnud. Trabalhamos de forma integrada para traçarmos um plano de ação para a redução e erradicação do trabalho infantil”, reforçou Juliana Vergetti.

Secom Maceió

Galeria fotos http://www.maceio.al.gov.br/galeria/fetipat/

Fonte: Secom Maceió


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

Trabalho infantil no Carnaval. O que nós temos a ver com isso?

Artigo da coordenadora do Fórum Paulista de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil, Elisiane Santos, chama a atenção para essa violação de direitos

PB: Conapeti divulga nota sobre deputado que elogiou trabalho infantil

Deputado estadual Doda de Tião incentivou em uma rede social uma criança que trabalhava vendendo picolé

Trabalho infantil não é folia! Participe da campanha do MPT

Objetivo da ação é alertar para a situação de crianças e adolescentes que trabalham durante o Carnaval

Organizações solicitam ações pelo fim da violência contra crianças e adolescentes

Dados alarmantes sobre abusos, explorações e elevados índices de homicídios motivaram a ação do grupo, do qual o FNPETI faz parte