Fórum Estadual de Alagoas

  • Noticias

  • Agenda

  • Biblioteca

  • Contato

Notícia

21/03/2018 10:30:11 - Atualizado em 27/04/2018 12:37:24


Gestores do Programa de Combate ao Trabalho Infantil debatem temas para 2018

As ministras coordenadoras da Frente predefiniram, em comum acordo com os gestores nacionais e regionais, o período de 13 a 18 de agosto para a realização da Semana Nacional da Aprendizagem

As ministras do Tribunal Superior do Trabalho (TST) Kátia Magalhães Arruda e Maria de Assis Calsing, respectivamente coordenadora e vice-coordenadora do Programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem, reuniram-se com os gestores nacionais e regionais do Programa para debaterem os temas para 2018. Dentre os assuntos tratados, o número de aprendizes em áreas rurais e a predefinição da data da Semana Nacional da Aprendizagem foram as pautas mais importantes.

O presidente do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) e do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Brito Pereira, cumprimentou todos os presentes no evento e informou que seu gabinete está sempre de portas abertas para a troca de ideias.

Kátia Arruda e Assis Calsing predefiniram, em comum acordo com os gestores nacionais e regionais, o período de 13 a 18 de agosto para a realização da Semana Nacional da Aprendizagem. A data escolhida, no entanto, poderá sofrer alterações de acordo com a disponibilidade do Ministério Público do Trabalho (MPT).

Com relação ao trabalho de aprendizes em áreas rurais, a coordenadora nacional quer estimular as discussões acerca do tema. Kátia Arruda expôs aos presentes o Protocolo de Intenções do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) com o Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) e os Tribunais Regionais do Trabalho. A proposta do protocolo é colaborar para o aumento do número de aprendizes no campo e estimular os empresários rurais sobre a importância da lei da aprendizagem. A ministra ressaltou que o documento não acarretará em gastos para a Justiça do Trabalho.  “Pretendemos multiplicar o número de jovens rurais aprendizes e apresentar aos empresários as vantagens de ter esse tipo de profissional em seu ambiente de trabalho”, explicou.

Kátia Arruda divulgou também a proposta do ‘Prêmio Nacional Aprender para Crescer’, voltado ao trabalhador rural. Além disso, o Senar desenvolverá experiências em dois estados do Brasil, Minas Gerais e Bahia, que servirão de referência para outras empresas. “Há algumas peculiaridades na aprendizagem rural. Um exemplo é que, no campo, as empresas então muito espalhadas, gerando distâncias muito grandes entre elas. Mesmo assim, queremos chamar a atenção dos empresários como um todo. O protocolo é simples, não gera custo para a Justiça do Trabalho e a ideia é desenvolver a aprendizagem em áreas rurais”, concluiu a coordenadora.

Já a ministra Maria de Assis Calsing explicou que o protocolo é um compromisso que o Senar está assumindo com a implementação da aprendizagem no campo. “Hoje, esse tipo de aprendizagem é praticamente inexistente. Por isso, considero que seja um avanço significativo para o tema”, observou. A vice-coordenadora do programa lembrou que o Protocolo foi assinado nacionalmente e que todos os Regionais podem atuar junto com o serviço local para contribuírem com a proposta.

Histórico, balanço e perspectivas 
Durante o encontro, o juiz Fabiano Coelho de Sousa, um dos gestores nacionais, apresentou o histórico, o balanço e as perspectivas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem. O magistrado do TRT da 18ª Região explicou que, ao surgir o programa, o Brasil tinha, em média, 3 milhões de crianças no Brasil trabalhando de forma irregular. “O programa colabora para a diminuição do número de crianças trabalhando, porém, o número ainda é expressivo. Hoje, 2,5 milhões de crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos trabalham no Brasil”, comentou.

Para Fabiano Coelho, a Justiça do trabalho tem um papel importante na articulação e colaboração com a legislação do menor aprendiz e já contribuiu em diversos eventos, tais como a Terceira Conferência Global contra o Trabalho Infantil, os Seminários Nacionais de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem e Audiências Públicas.

O gestor explicou que o Programa tem como meta colaborar com as politicas públicas, com o diálogo social e institucional, educação e prevenção, compartilhamento de dados e informações, estudos e pesquisas, efetividade normativa e eficiência jurisdicional.

"Não leve na brincadeira: trabalho infantil é ilegal. Denuncie”
O outro gestor nacional do Programa, juiz José Roberto Dantas Oliva, do TRT da 15ª Região, discorreu sobre a lei do aprendiz o os desafios para ela seja eficaz. Além disso, o magistrado apresentou ações que têm apresentado bastante resultado para o Tribunal, dentre elas, a atuação dos comitês de proteção à infância e as comissões locais de combate ao trabalho infantil. “A iniciativa vai ao encontro dos objetivos gerais do Programa de Combate ao Trabalho Infantil no âmbito da Justiça do Trabalho, de consolidar e ampliar o vínculo institucional do Judiciário Trabalhista com o compromisso pela erradicação do trabalho infantil no País”, afirmou.

Outra ação apresentada foi a campanha "Não leve na brincadeira: trabalho infantil é ilegal. Denuncie” do TRT da 15ª Região, que será nacionalizada pelo CSJT. “Com isso, busca-se contribuir e colaborar, no intuito de impulsionar a divulgação com a disponibilidade dos TRTs de impressão de cartaz para os fóruns, reprodução de banners para as mídias sociais, encaminhamento dos VTs e spots para TVs e rádios públicas, respectivamente”.

Revistas “Turma da Mônica”
Ainda durante a Reunião, a ministra  Kátia Magalhães Arruda divulgou a quantidade de impressões das revistas “Turma da Mônica”. Serão 200 mil, sendo distribuídas para os tribunais de grande, médio e pequeno porte com as tiragens de 10,5 mil, 7,5 mil e 5,5 mil, respectivamente. O restante permanece no Tribunal Superior do Trabalho (TST) para distribuição nos eventos realizados durante o ano.

(Nathalia Valente/RT - Fotos: Fellipe Sampaio) 

Fonte: CSJT


Deixe seu comentário

Login

Comentários (2)

cleiton

08 de Setembro de 2018 às 21:18:54


Cleiton

08 de Setembro de 2018 às 21:18:03


Destaques

SINAIT comemora 30 anos de existência com seminário

“Seminário Internacional 30 anos da Constituição Cidadã e um ano da Reforma Trabalhista” reúne especialistas em Brasília

Aberta a votação do Eleitor Mirim, onde criança também tem voz!

Programa é realizado em anos eleitorais, com a contribuição de professores

FNPETI participa da cerimônia de posse do Comitê de adolescentes do CDCA

Mais de 30 adolescentes tomaram posse no Conselho do DF

FNPETI participa de roda de conversa com adolescentes e jovens do Programa Primeiro Passo

A importância do voto no exercício da cidadania e o papel dos políticos foram os temas da conversa