Fórum Estadual de Alagoas

  • Noticias

  • Agenda

  • Biblioteca

  • Contato

Notícia

16/05/2018 20:39:27 - Atualizado em 17/05/2018 13:01:49


Estudantes de escolas estaduais são orientados sobre combate ao abuso e à exploração sexual

Essa atividade acontece no período de 10 a 18 de maio, promovida pelo FETIPAT

 

Texto de Renata Bello
 

 

No dia 18 de maio de 1973, uma menina de 8 anos da cidade de Vitória (ES) foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada. Com a repercussão do caso, houve forte mobilização do movimento em defesa dos direitos das crianças e adolescentes. A partir daí, o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes foi instituído para que a sociedade brasileira se manifeste contra esse tipo de violência.

 

Com a proximidade da data, a Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social está promovendo uma serie de ações para alertar os profissionais e a população sobre a temática. O encontro será nesta quinta-feira (17), a partir das 9h, na Escola Maria José Loureiro, localizado no Complexo de Estudos e Pesquisas Aplicadas (Cepa).

 

A Superintendência de Assistência Social, ao longo do dia, fará palestras sobre como a exploração e abuso sexual deve ser combatida. Haverá ainda panfletagem sobre o papel da sociedade neste enfrentamento.

 

Além da prevenção, a superintendente de assistência social, Elis Corria, reforça que o combate exige, principalmente, que os casos sejam denunciados. “As queixas podem ser feitas nos conselhos tutelares, delegacias especializadas, além do Disque 100. A ligação é gratuita e pode ser anônima”, disse.

 

Apoio aos municípios

Como forma de apoiar e ressaltar a importância dos municípios no combate ao abuso e exploração sexual, Seades, produziu e está distribuindo aos 102 municípios alagoanos, material gráfico a respeito do tema. Folders e cartazes deverão ser utilizados pelas gestões municipais no trabalho direto com o público alvo e técnicos.

 

No material, a população contará com informações sobre a exploração econômica de crianças e adolescentes, violência psicológica, além de como agir em caso de violência contra crianças e adolescentes e outras informações fundamentais que constam no Estatuto da Criança e do Adolescente.

 

O secretário Fernando Pereira, ressalta que o abuso e a exploração sexual é considerado pela Organização Internacional do Trabalho (OTI) como uma das piores formas de trabalho infantil. “Sabemos disso é o Governo de Alagoas tem demonstrado seu compromisso em transformar essa realidade através de diversas ações a exemplo da campanha durante o carnaval, quando a Seades  distribuiu panfletos e fixou outdoors na capital e no interior com objetivo conscientizar e chamar a atenção da sociedade para este problema. Fizemos campanha no ano passado sobre combate ao trabalho infantil, este ano fizemos no carnaval e vamos continuar fazendo porque o Governo de Alagoas preza por este trabalho de proximidade com os municípios. Somos parceiros nesta missão de conscientização e combate”, disse.

 


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

FNPETI participa da 2ª Jornada Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora

Fórum aborda a vulnerabilidade de crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil

Aumenta o número de crianças em situação de pobreza entre 2016 e 2017

IBGE divulga Síntese dos Indicadores Sociais. m 2017, dois em cada cinco trabalhadores do país eram informais

O gosto amargo do trabalho infantil e do trabalho escravo pode estar no chocolate

Para conscientizar os envolvidos na cadeia produtiva do cacau no Brasil, MPT e OIT divulgam pesquisa e documentário

Acesse o III Plano Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente Trabalhador

Plano abrange os anos de 2019 a 2022 e está disponível no site do FNPETI