Fórum Estadual de Alagoas

  • Noticias

  • Agenda

  • Biblioteca

  • Contato

Notícia

22/08/2018 17:18:15 - Atualizado em 22/08/2018 17:18:16


Fetipat elege Coordenação Colegiada para o biênio 2018/2020

Reunião aconteceu no dia 17, na sede do TRT AL

Na manhã da última sexta-feira (17.08), na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região (TRT/AL),  foi realizada mais uma reunião do Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente de Alagoas (Fetipat/AL). O evento foi conduzido pela juíza do Trabalho Kassandra Carvalho e Lima, uma das gestoras  regionais do programa de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem. O principal objetivo da reunião foi realizar a eleição da coordenação colegiada do Fórum para o biênio 2018/2020.
     
No início do evento, a auditora fiscal do Trabalho, Railene Cunha Gomes, fez um balanço de sua gestão ao longo do biênio em que esteve à frente da coordenação do Fórum.  Muito emocionada, agradeceu o apoio de todos os integrantes do Fetipat e enalteceu o trabalho conjunto. "Agradeço a todos, especialmente a Nelma Nunes, por sua dedicação e empenho. Desejo que o Fórum se fortaleça a cada nova gestão, e que tenha muitas realizações", frisou.
 
Ela salientou ter cumprido, na íntegra, a agenda de reuniões propostas, bem como enfatizou o êxito de ações conjuntas, a exemplo de campanhas de combate ao trabalho infantil. Além disso,  ressaltou que o Fetipat/AL recebeu destaque no  Fórum  Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI) por ter publicado várias matérias nos sites do TRT/AL e MPT/AL, assim como em diversos veículos de comunicação do Estado,  que deram visibilidade a várias ações implementadas para erradicar o trabalho infantil.
 
Railene Cunha também destacou a importância da conquista de um espaço para o Fetipat em uma sala na sede da Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social (SEADS). Ressaltou, ainda, com grande satisfação, que conseguiu aumentar o número de instituições no Fórum, a exemplo do Ministério Público do Estado (MPE/AL), que designou, recentemente,  o promotor da Infância e Juventude, Ubirajara Ramos, para   integrar o Fetipat/AL.
 
Logo após, houve a apresentação dos candidatos à coordenação geral e colegiada do Fórum para o biênio 2018/2020, que fizeram breves explanações e convergiram suas falas no tocante aos conhecimentos adquiridos no Fetipat, nas vivências enriquecedoras partilhadas sob a coordenação de Railene Cunha, bem como na renovação de compromissos e tenaz engajamento nas políticas de combate ao trabalho infantil.
 
O candidato Paulo Victor Paraízo afirmou que a OAB/AL tem um dever social e que não vai se esquivar de defender a criança e o adolescente. "O trabalho infantil também passa pela porta da OAB, temos a comissão da defesa do adolescente", observou. 
 
Na sequência, ocorreu a votação, sendo eleitas, além da coordenadora geral, três instituições governamentais e três instituições não governamentais.
 
Nova coordenação
A gestão para o biênio 2018/2020 passou a ter a seguinte composição: coordenadora-geral, Nelma Nunes, da Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos ((SEMUDH); para a Coordenação Colegiada Governamental, foram eleitos Virgínia Araújo Gonçalves, procuradora  do Ministério Público do Trabalho (MPT/AL);  Israelle Quitéria  Damasceno, da Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social (SEADS) e Maria do Socorro Marques, da Secretaria de Estado da Saúde/Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (SESAU/CEREST). 
 
Para a Coordenação Colegiada Sociedade Civil,  também foram escolhidos três membros:  Fabiana Porto, do Centro de Integração Empresa Escola (CIEE); Paulo Victor Paraízo, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AL) e Sheyla Cristina Montenegro, do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). Esta última instituição empatou em número de votos com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas (SINTEAL) que, espontaneamente, em um gesto de maturidade política  e gentileza, cedeu ao Senac a vaga na coordenação. 
 
Ao encerrar a reunião, a juíza do Trabalho Kassandra Carvalho e Lima enalteceu a  atuação dos gestores do Fórum do biênio que encerrava. "Vocês deram uma grande contribuição ao Fetipat. Você, Railene, é uma guerreira", enfatizou.
 
Estrutura
 
As instituições governamentais que integram o FETIPAT são o Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região (TRT/AL),  Ministério Público do Trabalho em Alagoas (MPT/AL), Secretaria de Estado da Educação de Alagoas (Seduc),  Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Alagoas (SRTE/AL), Secretaria de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social (SEADS), Secretaria de Estada da Saúde/ Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (SESAU/CEREST), Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev), Secretaria de Estado da Cultura (SECULT), e  Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (SEMUDH).
 
As entidades não governamentais são as seguintes: Fundação de Jovens Com Uma Missão (JOCUM/ Maceió e Marechal Deodoro), Federação das Associações de Moradores e Entidades Comunitárias de Alagoas (Famecal), Centro de Integração Empresa Escola (CIEE), Organização Visão Mundial, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC), Serviço de Promoção e Bem-Estar Comunitário (Soprobem), Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas (SINTEAL), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AL), Associação Centro de Atividades Especiais Lourdinha Vieira e Associação dos Conselheiros e Ex-Conselheiros Tutelares de Alagoas (Acectal).

Fonte: TRT 19ª Região


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

FNPETI realiza última plenária do ano

Encontro sucedeu oficina para discussão sobre participação de adolescentes com integrantes da rede do Fórum

Participantes de Seminário Nacional divulgam Carta de Brasília pela Erradicação do Trabalho Infantil

Documento conclama a necessidade de eliminação das piores formas de trabalho infantil, entre outros pontos

CONTAG repudia proposta de modalidade de ensino à distância no campo

Educação do campo precisa acontecer no campo e com currículos escolares ajustados ao contexto e à realidade dos povos do campo

MIEIB lança nota pública em defesa da democracia e dos direitos humanos

Nota refere-se ao contexto das eleições para Presidência do Brasil