Fórum Estadual de Alagoas

  • Noticias

  • Agenda

  • Biblioteca

  • Contato

Notícia

19/09/2018 07:36:51 - Atualizado em 03/10/2018 14:14:55


MPT quer garantir formação de aprendiz para jovens que cumprem medidas socioeducativas

Parceria entre instituições públicas e serviços nacionais de aprendizagem visa inserir juventude no mundo do trabalho

Atento às oportunidades de inclusão social para juventude, o Ministério Público do Trabalho (MPT) em Alagoas quer garantir cursos de aprendizagem para jovens que cumprem medidas socioeducativas no estado. Para isso, a instituição contará com a parceria do Ministério Público Estadual, Ministério do Trabalho, Ordem dos Advogados do Brasil, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), que se reuniram com a procuradora do Trabalho Virgínia Ferreira nesta quarta-feira, 12. 

“Queremos inserir esses jovens no mundo do trabalho, dando-lhes oportunidade de darem outro curso em suas vidas. Precisamos unir esforços para retirá-los do estado de vulnerabilidade social, que é porta para criminalidade. São rapazes e moças que se envolveram muito cedo em alguma situação de violência e precisam de um olhar cuidadoso do poder público e da sociedade. Sair de uma unidade de internação com alguma qualificação profissional, significará muito para quem, na maioria das vezes, mal teve acesso à educação básica”, disse Virgínia Ferreira, titular em Alagoas da Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente do MPT.

Foi proposto às instituições de aprendizagem presentes que realizem visita à Unidade de Internação Feminina (UIF), no bairro da Serraria, na capital. O objetivo da ida ao prédio vinculado à Secretaria de Estado de Prevenção à Violência será identificar o interesse das jovens internas em cursos que o Senai e o Senac possam ofertar. Também será observada a existência de estrutura necessária para a formação ocorrer dentro da própria unidade.

Os serviços nacionais de aprendizagem apresentarão ao MPT, no prazo de 15 dias, a relação dos cursos que ainda podem ofertar em 2018, em cumprimento à finalidade de atender os adolescentes e jovens com idade entre 14 e 24 anos, bem como as empresas, as quais são obrigadas legalmente a cumprirem cota de contratação de jovens aprendizes.

Fonte: MPT/AL


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

SINAIT comemora 30 anos de existência com seminário

“Seminário Internacional 30 anos da Constituição Cidadã e um ano da Reforma Trabalhista” reúne especialistas em Brasília

Aberta a votação do Eleitor Mirim, onde criança também tem voz!

Programa é realizado em anos eleitorais, com a contribuição de professores

FNPETI participa da cerimônia de posse do Comitê de adolescentes do CDCA

Mais de 30 adolescentes tomaram posse no Conselho do DF

FNPETI participa de roda de conversa com adolescentes e jovens do Programa Primeiro Passo

A importância do voto no exercício da cidadania e o papel dos políticos foram os temas da conversa