Fórum Estadual de Alagoas

  • Noticias

  • Agenda

  • Biblioteca

  • Contato

Notícia

03/10/2018 15:48:27 - Atualizado em 03/10/2018 15:48:40


MPT se une à Corregedoria Geral de Justiça para buscar inserção de adolescentes que cumprem medidas socioeducativas na aprendizagem profissional

Fetipat é parceiro no projeto

O Ministério Público do Trabalho continua atuando para buscar a inclusão social de jovens em situação de vulnerabilidade, e a atuação, desta vez, passou a receber apoio do Judiciário alagoano. O Corregedor Geral de Justiça de Alagoas, desembargador Paulo Lima, garantiu a emissão de RG e CPF dos socioeducandos que possuem apenas certidão de nascimento.

As tratativas foram definidas durante reunião realizada na Corregedoria Geral, no dia 27 de setembro, com a participação da promotora Marília Cerqueira, do Ministério Público Estadual, e outras autoridades e representantes ligados à causa. A medida, segundo a procuradora do MPT Virgínia Ferreira, é fundamental para incluir os adolescentes na aprendizagem profissional. “A emissão dos documentos desses jovens é o primeiro passo para a retirada da carteira de trabalho e um grande passo para inseri-los no mercado de trabalho, por meio da aprendizagem. O que buscamos é a igualdade de oportunidades e transformação de vida para todos, e só com união de esforços conseguiremos mudar o destino de muitos desses jovens”, disse Virgínia.

As ações do Ministério Público do Trabalho com o Tribunal de Justiça juntam-se à atuação realizada com o Ministério Público Estadual (MPE), Fetipat, Superintendência Regional do Trabalho (SRT/AL) e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AL) para a realização de programas de aprendizagem voltados a jovens em cumprimento de medidas socioeducativas, egressos, abrigados e retirados do trabalho infantil.

Uma das medidas já realizadas foi propor às instituições formadoras de aprendizagem que realizem visita à Unidade de Internação Feminina (UIF), no bairro da Serraria, na capital. O objetivo da ida ao prédio - vinculado à Secretaria de Estado de Prevenção à Violência - será identificar o interesse das jovens internas em cursos que as instituições formadoras de aprendizes possam ofertar. Também será observada a existência de estrutura necessária para a formação ocorrer dentro da própria unidade.

Fonte: MPT/AL


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

SINAIT comemora 30 anos de existência com seminário

“Seminário Internacional 30 anos da Constituição Cidadã e um ano da Reforma Trabalhista” reúne especialistas em Brasília

Aberta a votação do Eleitor Mirim, onde criança também tem voz!

Programa é realizado em anos eleitorais, com a contribuição de professores

FNPETI participa da cerimônia de posse do Comitê de adolescentes do CDCA

Mais de 30 adolescentes tomaram posse no Conselho do DF

FNPETI participa de roda de conversa com adolescentes e jovens do Programa Primeiro Passo

A importância do voto no exercício da cidadania e o papel dos políticos foram os temas da conversa