Fórum Estadual do Distrito Federal

  • Noticias

  • Agenda

  • Biblioteca

  • Contato

Notícia

19/06/2018 10:00:56 - Atualizado em 19/06/2018 10:00:56


Lançada campanha “Não proteger a infância é condenar o futuro” nas estações do Metrô-DF

Peças publicitárias remetem à importância de combate ao trabalho infantil

Na segunda-feira (11/6), na Estação Central da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF), foi lançada a Campanha institucional “Não proteger a infância é condenar o futuro”, do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI), do Ministério Público do Trabalho (MPT), da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e da Organização Faça Bonito.
 
Além desses atores, a Campanha conta com o apoio do Governo de Brasília, que cedeu 20 painéis publicitários em 12 estações do Metrô, e do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região, que veicula as peças em suas redes oficiais.
 
O evento foi aberto pelo presidente do Metrô-DF, Marcelo Dourado. Ele destacou a parceria com o MPT e afirmou que o espaço da Companhia está aberto para novas campanhas. “É uma parceria muito positiva, principalmente para população e usuários do Metrô, que usam o sistema todo o dia para ir ao trabalho ou à escola”.
 
Em seguida, Isa Oliveira, da FNPETI, falou sobre a importância de políticas públicas no fortalecimento do combate ao trabalho infantil e agendou reunião com a primeira-dama do Distrito Federal, Márcia Rollemberg, para discutir o tema.
 
A desembargadora presidente do TRT10, Maria Regina Machado Guimarães, reforçou o apoio institucional do Tribunal na causa. “Nosso reconhecimento a todos que abraçam essa luta, contra o trabalho infantil, que infelizmente no nosso País, ainda ceifa o futuro das crianças e adolescentes”.
 
A procuradora Ana Maria Villa Real foi a responsável por viabilizar, sem ônus, a parceria com o Metrô-DF, que vai permanecer nos painéis até outubro deste ano. Em seu discurso, enalteceu o mote da campanha, enumerando os prejuízos causados pelo labor precoce.
 
“O trabalho infantil impede que crianças e adolescentes atinjam seu desenvolvimento pleno físico, mental e social, tornando-os adultos com baixa qualificação, com precário grau de inserção no mercado de trabalho. Ele condena o futuro, ele rouba a infância”.
 
“Um apelo para que os governos cumpram seus compromissos e instituam políticas públicas de combate ao trabalho infantil e sobretudo para que cumpram as políticas já existentes de prevenção e erradicação”, finaliza.
 
O vice-procurador-geral do Trabalho, Luiz Eduardo Bojart, representou o Ministério Público do Trabalho nacional e fez coro à Campanha “Chega de Trabalho Infantil”.
Em seu discurso, lembrou que o MPT possui uma coordenadoria especializada há mais de 20 anos e que é preciso a ajuda da sociedade para descontruir mitos que são propagados.
 
“O Brasil precisa, urgentemente, vencer a hipocrisia do conceito de que é melhor estar no trabalho do que estar na rua. Isso é uma vergonha. Lugar de criança não é na rua, não é no trabalho. Lugar de criança é na escola!”
 
A primeira-dama do Distrito Federal, Márcia Rollemberg, destacou as ações do Governo, como a criação do espaço Criança Candanga, que visa garantir o direito da criança a seu desenvolvimento integral, desde a infância até a adolescência e abriu as portas para novas iniciativas.
 
A procuradora-chefe substituta do MPT-DF/TO, Heloísa Siqueira de Jesus, também esteve presente na cerimônia, assim como a procuradora regional do Trabalho, Soraya Tabet Souto Maior.

Fonte: MPT 10ª Região


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

FNPETI realiza última plenária do ano

Encontro sucedeu oficina para discussão sobre participação de adolescentes com integrantes da rede do Fórum

Participantes de Seminário Nacional divulgam Carta de Brasília pela Erradicação do Trabalho Infantil

Documento conclama a necessidade de eliminação das piores formas de trabalho infantil, entre outros pontos

CONTAG repudia proposta de modalidade de ensino à distância no campo

Educação do campo precisa acontecer no campo e com currículos escolares ajustados ao contexto e à realidade dos povos do campo

MIEIB lança nota pública em defesa da democracia e dos direitos humanos

Nota refere-se ao contexto das eleições para Presidência do Brasil