Notícia

06/10/2014 15:52:59 - Atualizado em 06/10/2014 16:25:37


Fóruns Estaduais dão continuidade a Caravana do Norte

Amapá e Tocantins dão continuidade à pactuação de metas contra o trabalho infantil

No período que se seguiu à Caravana do Norte contra o Trabalho Infantil, realizada de abril a junho de 2013, os Fóruns Estaduais de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil de Tocantins e Amapá se organizaram para continuar suas ações. O Fórum do Amapá encerrou as atividades em 2014 alcançando todos os municípios do estado, e o Fórum de Tocantins percorreu todas as localidades com maior índice de trabalho infantil apontado pelo Censo de 2010. O resultado foi a assinatura dos Termos de Compromisso por todos os prefeitos dos municípios visitados, que se comprometeram a cumprir as metas de erradicação do trabalho infantil.
 
Amapá
No Amapá o Fórum Estadual reiniciou as atividades da Caravana no dia 30 de setembro de 2013, finalizando no dia 6 de setembro de 2014. Nesse período, os 16 municípios do Amapá foram visitados e, em todas as localidades, todos os prefeitos estiveram presentes nas audiências públicas e assinaram o Termo de Compromisso.
 
Crianças e adolescentes participaram das mobilizações, nas oficinas e palestras. Foram realizadas também fiscalizações e visitas institucionais em todos os municípios por membros do MPT e auditores fiscais da SRTE/AP, atividades socioeducativas livres, sob a responsabilidade do município.
 
A Caravana mobilizou prefeitos, secretários de Assistência Social, de Educação, conselheiros tutelares, conselheiros dos Direitos da Criança e do Adolescente, de Assistência Social, coordenadores e educadores do PETI, do Projovem-Adolescente, dos CRAS e CREAS, diretores e coordenadores pedagógicos de escolas, vereadores e a imprensa.
 
Tocantins
Em Tocantins, o Fórum Estadual percorreu os 13 municípios com maior incidência de trabalho infantil apontados pelo Censo 2010, com o principal objetivo de fortalecer as articulações e parcerias do Fórum Estadual e fazer uma interlocução com prefeitos e prefeitas para a erradicação do problema nessas localidades.

Foram realizadas diversas mobilizações em cada um dos municípios - desde apresentações culturais, palestras, debates até audiências públicas, momento político da Caravana realizada com a presença das autoridades locais para a assinatura do Termo de Compromisso. Em todas as audiências, crianças ou adolescentes estavam presentes e participavam da sessão solene, quando uma delas entregava o cata-vento para os prefeitos ou seus representantes.

Em todas as ações, o Fórum Tocantinense contou com o apoio de diversas instituições, como a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego/TO, Ministério Público do Trabalho, Secretaria Municipal de Assistência Social, Secretaria Municipal de Educação e Cultura, Secretaria Municipal de Saúde, Conselhos Tutelares, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, dentre outras.

Na avaliação do Fórum de Tocantins, a Caravana superou as expectativas conseguindo melhor articulação entre os parceiros e a adesão de mais instituições, fortalecendo os espaços de discussão e proposição de ações, pautando o tema do trabalho infantil em todos os municípios percorridos.
 


Deixe seu comentário

Login

Comentários (2)

Sefora Alice Rola do Carmo

10 de Outubro de 2014 às 13:02:23
Parabenizamos pela importante matéria. Ao mesmo tempo, apresentamos os nossos agradecimentos ao FNPETI pelo apoio e incentivo irrestrito que recebemos para realização das caravanas no Amapá. Já estamos nos organizando para iniciar o monitoramento/avaliação dos compromissos assumidos pelos gestores municipais durante a passagem das caravanas. A luta por um Amapá sem trabalho infantil está ativa.

Séfora Alice Rôla do Carmo

10 de Outubro de 2014 às 13:01:01
Parabenizamos pela importante matéria. Ao mesmo tempo, apresentamos os nossos agradecimentos ao FNPETI pelo apoio e incentivo irrestrito que recebemos para realização das caravanas no Amapá. Já estamos nos organizando para iniciar o monitoramento/avaliação dos compromissos assumidos pelos gestores municipais durante a passagem das caravanas. A luta por um Amapá sem trabalho infantil está ativa.

Destaques

Crianças imigrantes vivem em condições aterrorizantes, diz órgão europeu

Expostas a abusos sexuais e trabalho forçado, elas não têm acesso à educação ou saúde

Cabe à Justiça do Trabalho autorizar artistas mirins, defendem juízes

Ação da Abert no STF que questiona competência da Justiça do Trabalho pode resultar em retrocesso

Fundação Abrinq divulga panorama da infância

Estudo reúne dados sobre a situação da infância e adolescência no Brasil, com informações sobre trabalho infantil

Exploração sexual é recorrente em embarcações da Amazônia

Em entrevista à Rádio Nacional, juíza paraense premiada pelo CNJ lembra que luta contra esse crime precisa envolver toda a sociedade