Notícia

16/03/2017 16:03:59 - Atualizado em 16/03/2017 16:03:59


Exploração sexual é recorrente em embarcações da Amazônia

Em entrevista à Rádio Nacional, juíza paraense premiada pelo CNJ lembra que luta contra esse crime precisa envolver toda a sociedade

 
O Tarde Nacional, programa da Rádio Nacional da Amazônia, abordou esta semana uma triste realidade da região: a exploração sexual de crianças e adolescentes. A entrevistada foi a juíza paraense Elinay Almeida Ferreira de Melo, da Justiça trabalhista de Belém (PA).
 
"Infelizmente, essa é uma situação frequente, por exemplo, na Ilha do Marajó. Há uma naturalização dessa situação". Por causa de uma sentença da magistrada, ficou proibida a entrada de menores nas embarcações de uma determinada empresa da região. A decisão chegou a ser premiada pelo Conselho Nacional de Justiça.
 
Ouça a entrevista clicando aqui.
 
 

Fonte: EBC


Deixe seu comentário

Login

Comentários (2)

Julio Fontoura

17 de Março de 2017 às 17:24:55
Julio Cesar Fontoura de souza
17 de Março de 2017 às 17:16:37
Queremos intensificar nosso apoio e participar das ações e divulgação do combate a exploração sexual de crianças e adolescente e exploração do trabalho infantil, sou atualmente coordenador da pasta institucional do Fórum colegiado nacional de conselheiros tutelares FCNCT e queremos "estreitar' a nossa participação junto ao FNPETI,
O FCNCT tem Representantes nos 27 estados e queremos estar informados das ações para futuras, ações em conjunto !

Julio Cesar Fontoura de souza

17 de Março de 2017 às 17:16:37
Queremos intensificar nosso apoio e participar das ações e divulgação do combate a exploração sexual de crianças e adolescente e exploração do trabalho infantil, sou atualmente coordenador da pasta institucional do Fórum colegiado nacional de conselheiros tutelares FCNCT e queremos "estreitar' a nossa participação junto ao FNPETI,
Nossos Contatos 51 32898418 comercial Celular 51993956943/ waths 51 999607730 Facebook Julio Fontoura

Destaques

Brasil registra aumento de trabalho infantil entre crianças de 5 a 9 anos

Pesquisa mostra que o número de trabalhadores precoces corresponde a 5% da população que tem entre 5 e 17 anos no Brasil

Faça parte desta campanha!

Fóruns estaduais organizam diversas mobilizações em todo o país

Campanha 100 Milhões por 100 Milhões é lançada no Brasil

Mobilização global pelo fim do trabalho infantil e contra toda forma de exploração terá lançamento oficial em 12 de junho

Mais da metade dos alunos brasileiros não tem conhecimentos financeiros básicos

De acordo com OCDE, estudantes enfrentam dificuldades para gerir conta bancária ou cartão de débito, por exemplo