Notícia

10/07/2017 15:05:21 - Atualizado em 12/07/2017 10:29:30


Coordenadores do FEPETI-SE aderem à Campanha 100 Milhões por 100 Milhões

Campanha tem o apoio do FNPETI e quer mobilizar 100 milhões de pessoas pelos direitos de 100 milhões de crianças e adolescentes

Os coordenadores do Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil em Sergipe (FEPETI-SE) aderiram à Campanha 100 milhões por 100 milhões. Idealizada pelo nobel da Paz Kailash Satyarthi, a iniciativa quer mobilizar 100 milhões de pessoas, principalmente jovens, pelos direitos de 100 milhões de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade e violação de direitos, como o trabalho infantil.

A Campanha é mundial e foi lançada no Brasil em 12 de junho, Dia Mundial e Nacional de Combate ao Trabalho Infantil, com a participação de Kailash. A coordenação no país é coordenada por Daniel Cara, coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, e tem como parceiro temático o Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI).

A mobilização dos coordenadores foi realizada pela jovem Alanna Mangueira, que participou do lançamento da campanha no Brasil.

De cima para baixo, da esquerda para a direita: Magno Correia, Verônica Oliveira, Maria Júlia Costa Diniz, Conceição Balbino, Antônio Sobrinho, Karla Barbosa e Danival Falcão. 


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

Prêmio MPT na Escola será entregue na segunda-feira

Foram 51 trabalhos classificados para a etapa nacional, dos quais 30 serão premiados em cerimônia em 11 de dezembro em Brasília

Trabalho infantil, racismo e manipulação nos dados da PNAD

Em artigo, procuradora do Trabalho Elisiane Santos declara que mais de 1 milhão de trabalhadores infantis estão invisíveis na pesquisa

Nota explicativa sobre os dados de trabalho infantil da PNAD Contínua 2016

Ao apresentar número absoluto de trabalho infantil, não foram somados os dados de crianças e adolescentes que trabalham para o próprio consumo

Salvador debate sobre extermínio da juventude negra

Audiência pública acontece na próxima terça-feira (28), como parte das ações do Novembro Negro na capital baiana