Notícia

12/07/2017 17:14:51 - Atualizado em 12/07/2017 17:15:27


Alagoas registra 175 acidentes de trabalho envolvendo crianças e adolescentes

Os casos ocorreram entre 2014 e 2016. Do total, 57 foram acidentes graves

Em dois anos, 175 crianças e adolescentes se acidentaram enquanto trabalhavam em Alagoas. Do total, 57 foram acidentes graves. Houve ainda 60 casos de violência relacionada ao trabalho, 31 ataques de animais peçonhentos, 22 intoxicações exógenas e 5 acidentes por exposição a material biológico. Os dados foram divulgados nesta semana pelo Centro de Referência Estadual em Saúde do Trabalhador (Cerest). 
 
 
As notificações ocorreram entre 2014 e 2016. A capital, Maceió, tem 73 casos, o que representa 41% dos registros. Em Arapiraca foram 30 acidentes, ou 17% das ocorrências estaduais. “Para os demais municípios distribuem-se o restante das notificações (40%), podendo-se inferir que o silêncio pode representar subnotificação”, aponta o Boletim Informativo do Cerest. 
 
Outro indício de subnotificação é a quantidade de cidades que registraram casos. “43% dos 102 municípios de Alagoas notificaram 175 casos, o que identifica subnotificação. 57% dos municípios apresentam-se silenciosos numa série histórica de três anos, o que sinaliza a inexistência e fragilidade da notificação”, informa o documento.
 


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

IV Conferência Mundial sobre Erradicação do Trabalho Infantil divulga declaração de Buenos Aires

No documento, participantes da Conferência reiteram o compromisso com a erradicação do trabalho infantil

Gigantes da tecnologia não fazem o suficiente para evitar trabalho infantil

Pesquisa sobre empresas de eletrônicos e de carros mostra que existem “pontos cegos” nas cadeias de fornecedores de cobalto

Conanda seleciona adolescentes para participarem de Comitê

Inscrições terminam em 10 de dezembro; a seleção será via internet

Negros são maioria no trabalho infantil

Ao todo, 63% das crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil são negros; no trabalho infantil doméstico, esse índice se acentua para 73,5%