Notícia

12/07/2017 17:14:51 - Atualizado em 12/07/2017 17:15:27


Alagoas registra 175 acidentes de trabalho envolvendo crianças e adolescentes

Os casos ocorreram entre 2014 e 2016. Do total, 57 foram acidentes graves

Em dois anos, 175 crianças e adolescentes se acidentaram enquanto trabalhavam em Alagoas. Do total, 57 foram acidentes graves. Houve ainda 60 casos de violência relacionada ao trabalho, 31 ataques de animais peçonhentos, 22 intoxicações exógenas e 5 acidentes por exposição a material biológico. Os dados foram divulgados nesta semana pelo Centro de Referência Estadual em Saúde do Trabalhador (Cerest). 
 
 
As notificações ocorreram entre 2014 e 2016. A capital, Maceió, tem 73 casos, o que representa 41% dos registros. Em Arapiraca foram 30 acidentes, ou 17% das ocorrências estaduais. “Para os demais municípios distribuem-se o restante das notificações (40%), podendo-se inferir que o silêncio pode representar subnotificação”, aponta o Boletim Informativo do Cerest. 
 
Outro indício de subnotificação é a quantidade de cidades que registraram casos. “43% dos 102 municípios de Alagoas notificaram 175 casos, o que identifica subnotificação. 57% dos municípios apresentam-se silenciosos numa série histórica de três anos, o que sinaliza a inexistência e fragilidade da notificação”, informa o documento.
 


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

Governo contingencia recursos para fiscalização dos trabalhos infantil e escravo

Para FNPETI, decisão é inaceitável e pode resultar em aumento do número de crianças e adolescentes exploradas no trabalho

As meninas e os objetivos de desenvolvimento sustentável

Publicação da Plan International Brasil amplia olhar sobre questões que afetam a infância

Projeto ONDA: Afeto como direito (trans)formador

Meninas da socioeducação de Santa Maria criam programa de rádio sobre afetividade e discutem transexualidade

27 anos do ECA: Gibi ilustra lei de forma simples e divertida

Conheça o trabalho de Edson Pelicer, ilustrador e arte-educador que torna o ECA mais acessível para crianças e adolescentes