Notícia

16/08/2017 11:01:30 - Atualizado em 16/08/2017 11:07:00


Produção acadêmica contribui para enfrentar o trabalho infantil

Conheça trabalhos realizados por pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba sobre inserção precoce no trabalho

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) destaca-se no contexto nacional pela produção acadêmica sobre trabalho infantil. Somente o Núcleo de Pesquisas e Estudos sobre o Desenvolvimento da Infância e Adolescência (NUPEDIA) publicou, nos últimos anos, 11 trabalhos: seis dissertações de mestrado, três teses de doutorado e duas monografias de especialização. Uma das teses resultou na construção de um instrumento de avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI). 
 
As pesquisas acadêmicas sobre trabalho infantil contribuem para a compreensão do tema, fornecem elementos para que a sociedade enfrente a violação e oferecem apoio à execução de ações e políticas públicas mais eficazes, eficientes e efetivas de enfrentamento, defende a coordenadora do NUPEDIA, Maria de Fátima Pereira Alberto. 
 
“A ciência é uma parceira potencial para estudar, analisar e compreender como o trabalho infantil afeta o desenvolvimento físico, psicológico e social de crianças e adolescentes; como impacta a sociedade e o Estado; e possibilita compreender quais políticas públicas diminuem a inserção precoce no mercado de trabalho e quais incentivam seu crescimento”, detalha. 
 
Para Maria de Fátima, é fundamental democratizar o acesso ao material produzido nas universidades. “Fazer essa produção acadêmica retornar para a sociedade é contribuir para que as pessoas compreendam os impactos e os danos do trabalho infantil. Além disso, a maior parte da produção científica brasileira é feita em universidades públicas, em especial nas federais, com recursos públicos. Então, tem que retornar para o conjunto da sociedade brasileira, principalmente dos setores mais excluídos, que não têm acesso aos equipamentos e serviços do Estado”, ressalta.
 
Clique aqui e acesse cinco publicações do NUPEDIA:
 

 


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

Mundo tem 152 milhões de crianças no trabalho infantil

Novas estimativas globais serão lançadas hoje pela OIT e parceiros durante a Assembleia Geral da ONU, em Nova Iorque

Seminário ECA, 27 anos depois, debate trabalho infantil

Representantes do FNPETI, do FETIPAT-AL e do FEPETI-SE participam do encontro nesta semana em Alagoas

Menino de 14 anos morre após ser atropelado enquanto trabalhava

Adolescente trabalhava no Lixão da Estrutural, em Brasília

BA: Jovens de Salvador lançam peças de comunicação

Coletânea é resultado de formações com jovens de 15 a 29 anos, moradores de bairros periféricos