Notícia

16/08/2017 11:01:30 - Atualizado em 16/08/2017 11:07:00


Produção acadêmica contribui para enfrentar o trabalho infantil

Conheça trabalhos realizados por pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba sobre inserção precoce no trabalho

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) destaca-se no contexto nacional pela produção acadêmica sobre trabalho infantil. Somente o Núcleo de Pesquisas e Estudos sobre o Desenvolvimento da Infância e Adolescência (NUPEDIA) publicou, nos últimos anos, 11 trabalhos: seis dissertações de mestrado, três teses de doutorado e duas monografias de especialização. Uma das teses resultou na construção de um instrumento de avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI). 
 
As pesquisas acadêmicas sobre trabalho infantil contribuem para a compreensão do tema, fornecem elementos para que a sociedade enfrente a violação e oferecem apoio à execução de ações e políticas públicas mais eficazes, eficientes e efetivas de enfrentamento, defende a coordenadora do NUPEDIA, Maria de Fátima Pereira Alberto. 
 
“A ciência é uma parceira potencial para estudar, analisar e compreender como o trabalho infantil afeta o desenvolvimento físico, psicológico e social de crianças e adolescentes; como impacta a sociedade e o Estado; e possibilita compreender quais políticas públicas diminuem a inserção precoce no mercado de trabalho e quais incentivam seu crescimento”, detalha. 
 
Para Maria de Fátima, é fundamental democratizar o acesso ao material produzido nas universidades. “Fazer essa produção acadêmica retornar para a sociedade é contribuir para que as pessoas compreendam os impactos e os danos do trabalho infantil. Além disso, a maior parte da produção científica brasileira é feita em universidades públicas, em especial nas federais, com recursos públicos. Então, tem que retornar para o conjunto da sociedade brasileira, principalmente dos setores mais excluídos, que não têm acesso aos equipamentos e serviços do Estado”, ressalta.
 
Clique aqui e acesse cinco publicações do NUPEDIA:
 

 


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

Adolescente de João Pessoa morre durante trabalho em pedreira

Vítima tinha 16 anos e caiu de uma altura de 20 metros; o trabalho em pedreiras é uma das piores formas de trabalho infantil

Adolescentes viajam por 10 estados para falar de participação cidadã

Confira o relato do integrante do Conapeti, Felipe Caetano, sobre o projeto que divulga a importância da manifestação jovem

Trabalho infantil: uma conversa que foi além da sala de aula

Débora Garofalo, professora de São Paulo, conta à revista Nova Escola como motivou alunos a combater a evasão escolar

AP: Escritora produz livro sobre trabalho infantil na Amazônia

Publicação infantojuvenil 'Pescadores de Sonhos' foi impresso com o auxílio do MPT