Notícia

26/03/2018 12:07:27 - Atualizado em 02/04/2018 14:36:45


Representante da Iniciativa 100 Milhões participa de reunião na Jordânia

Alanna Mangueira, que também integra o FNPETI, representa Brasil na Cúpula dos Laureados e Líderes pelas Crianças

A integrante da coordenação jovem da Iniciativa 100 Milhões por 100 Milhões, Alanna Mangueira, representou o Brasil na Cúpula dos Laureados e Líderes pelas Crianças (Laureates and Leaders for Children Summit. O evento aconteceu entre os dias 26 e 27 de março, na Jordânia, com a participação de mais de 15 países.
 
Alanna é sergipana e faz parte do Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil em Sergipe (FEPETI/SE) e do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI). Tânia Dornellas, integrante do FNPETI e da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, também participa do encontro. A Campanha Nacional pelo Direito à Educação coordena a Iniciativa 100 Milhões por 100 Milhões no Brasil, em parceria com o FNPETI. 
 
Segundo Alanna Mangueira, “foi perceptível o interesse e o respeito com que fomos ouvidos pelos Laureados e Líderes Mundiais. Deixamos claro que é urgente a adoção de medidas efetivas para a garantia dos direitos das crianças e adolescentes. Estas ações passam pela promoção de uma educação pública, de qualidade e inclusiva desde a educação infantil até a universidade. É por meio da educação e de políticas que promovam a igualdade de gênero e os direitos humanos que iremos transformar a realidade e construir um mundo mais justo. Por mais que tenhamos desafios a enfrentar, também temos energia e força de vontade, mas para nos fazermos ouvir é fundamental o apoio dos tomadores de decisão, como os que participaram do evento. Chega de discursos, queremos ações concretas. Como já dizia Paulo Freire, precisamos diminuir a distância entre o que se diz e o que se faz, de tal modo, que em dado momento, a nossa fala seja a nossa prática. A hora é agora!”
 
Para Tânia Dornellas, "o encontro foi um momento importante para a articulação com outros coordenadores jovens da Iniciativa 100 Milhões e planejamento coletivo dos próximos passos. Também foi uma oportunidade para falar da conjuntura brasileira e dos retrocessos das políticas públicas de proteção social e de educação que afetam diretamente o combate ao trabalho infantil.”
 
O encontro foi organizado pela Kailash Satyarthi Children's Foundation. No dia 26, a abertura do encontro foi realizada pelo rei da Jordânia, Sua Majestade Abdullah II ibn Al Hussein. Para Alanna, “esta é mais uma oportunidade para que crianças e adolescentes falem dos desafios existentes para a garantia de seus direitos e exijam dos prêmios Nobel e dos líderes mundiais maior comprometimento com a infância e ações concretas para acabar com todas as violações dos direitos infanto-juvenis. É preciso que eles também levantem as mãos e estejam conosco na Iniciativa 100 Milhões, nos apoiando e ecoando nossas vozes”.
 
Os jovens ainda participaram dos círculos da liberdade com temas como comunicação, infância segura, crimes contra a infância, acesso à educação, arte para a mudança social, dentre outros. Também estiveram presentes a Primeira-Dama do Panamá e representante da UNAIDS para a América Latina, Lorena Castillo Varela, da Prêmio Nobel Tawakkol Karman 2011, da presidente da Fundação Mary Robinson para a Justiça Climática, do Ministro das Relações Exteriores da Argélia, Lakhdar Brahimi, do Diretor Regional do UNICEF para o Oriente Médio e Norte da África, Geert Cappelaere, da presidente da Fundação Robert F. Kennedy pelos Direitos Humanos, Kerry Kennedy e da representante da OCDE, Gabriela Ramos. No domingo, foram realizadas atividades de integração e mobilização dos participantes. 
 
O evento reuniu líderes jovens, pensadores e realizadores para dialogar sobre ações voltadas para o fim da exploração de crianças e adolescentes. Também serão discutidas estratégias para proteger vulneráveis, em especial as crianças migrantes, consideradas pelos organizadores do evento como um dos maiores desafios humanitários atuais.  
 
Os organizadores destacam que, atualmente, 152 milhões de crianças e adolescentes estão em situação de trabalho infantil e milhões estão fora da escola devido à pobreza, falta de acesso a serviços, conflitos e discriminação, sobretudo de gênero. Ressaltam ainda que, em 2016, quase 50 milhões de meninas e meninos estavam deslocados de seus territórios de origem.  Além disso, 75 milhões de crianças e adolescentes necessitam de ajuda ter acesso à educação em 35 países afetados por crises. 
 

Fonte: com informações da Campanha Nacional pelo Direito à Educação


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

SINAIT comemora 30 anos de existência com seminário

“Seminário Internacional 30 anos da Constituição Cidadã e um ano da Reforma Trabalhista” reúne especialistas em Brasília

Aberta a votação do Eleitor Mirim, onde criança também tem voz!

Programa é realizado em anos eleitorais, com a contribuição de professores

FNPETI participa da cerimônia de posse do Comitê de adolescentes do CDCA

Mais de 30 adolescentes tomaram posse no Conselho do DF

FNPETI participa de roda de conversa com adolescentes e jovens do Programa Primeiro Passo

A importância do voto no exercício da cidadania e o papel dos políticos foram os temas da conversa