Notícia

11/05/2018 16:04:36 - Atualizado em 11/05/2018 16:19:15


FETIPAT- AL lança campanha de enfrentamento ao trabalho infantil e violência sexual

Ações integradas acontecem de 10 a 18 de maio, promovidas pelo Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente Trabalhador de Alagoas

Estudantes das onze escolas do Centro de Estudos e Pesquisas Aplicadas (Cepa) recebem, de 10 a 18 de maio, uma série de ações de orientação para enfrentamento às violências infanto-juvenis, promovidas pelo Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente Trabalhador de Alagoas (FETIPAT-AL), formado por 21 instituições.
 
Com o foco na violência sexual e exploração do trabalho infantil, o início foi marcado com panfletagem de sensibilização de enfrentamento à violência sexual e ao trabalho infantil por todo o complexo, na quinta-feira (10), às 8h e às 13h, na chegada dos alunos.
 
Programação
 
A programação incluiu abordagens sobre o trabalho infantil e a exploração sexual e o programa Jovem Aprendiz, nesta sexta-feira (11), pela manhã, na Escola Estadual Silveira Camerino.
 
Na segunda-feira (14), também na Escola Silveira Camerino, haverá divulgação do Programa Aprendiz Legal e cadastramento de jovens, pela manhã. À tarde, será realizada a roda de conversa "O adolescente que comete ato infracional não fica impune", já no período da noite, a roda de conversa será com o tema "O que precisamos fazer para que 18 de maio não seja mais necessário?".
 
Ainda na segunda, na Escola Estadual Teotônio Vilela, acontece a palestra "Depressão Saúde do Trabalhador da Educação", pela manhã. À tarde as orientações são sobre "Bullying, Automutilação e Suicídio na Adolescência". 
 
Na terça-feira (15), os estudantes recebem ações de saúde, pela manhã e à tarde, nas escolas Dom Pedro II e Afrânio Lages. Na quarta-feira (16), na Escola Moreira e Silva, alunos recebem ações nos três turnos. Ações de prevenção com o tema “Uso seguro da internet – Seja um cidadão virtual" e rodas de conversas. No mesmo dia, na Escola Princesa Isabel, acontecem rodas de literatura, conversas e atividades lúdicas, além de oficinas sobre como prevenir doenças sexualmente transmissíveis e evitar a gravidez precoce.
 
Dia 17 será a vez dos estudantes da Escola Maria José Loureiro que vão ter uma roda de conversa sobre os malefícios do trabalho precoce.
Finalizando as atividades, no dia 18, serão promovidas ações lúdicas de combate à violência nas escolas Rosália Ambrozzio e Vitorino da Rocha. Uma roda de conversa sobre violência sexual será realizada nas escolas Laura Dantas. Já na Escola Correia Titara acontecerá uma palestra que abordará também a violência sexual.
 
Confira a programação clicando aqui.

Fonte: Agência Alagoas


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

ONU: Brasil se mantém na 79ª posição no ranking do IDH

O país perde 23,9% do seu IDH quando se consideram as desigualdades

G20: organizações exigem compromisso com a implementação efetiva da agenda de educação 2030

Organizações da América Latina e do Caribe demandam aos Estados do G20 que garantam o fortalecimento de sistemas de educação públicos

FECTIPA-MG divulga moção de repúdio contra redução de vagas de Aprendizagem

Documento critica a tentativa de alteração da Classificação Brasileira de Ocupações (CBO)

Instituto Sou da Paz lança estudo sobre reincidência infracional

“Aí eu voltei para o corre” aponta forte relação entre a prática da primeira infração e evasão escolar, entre outros fatores