Fórum Estadual do Pará

  • Noticias

  • Agenda

  • Biblioteca

  • Contato

Notícia

02/09/2016 13:14:39 - Atualizado em 16/09/2016 10:30:19


Pará lança Plano de Combate ao Trabalho Infantil

Documento é fruto de construção coletiva e vai pautar as políticas públicas no estado

O Fórum Paraense de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Trabalho do Adolescente (FPETIPA) lançou, na segunda-feira (29), no auditório do Fórum Cível, em Belém, o Plano Paraense de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Adolescente Trabalhador. Em todo o estado, 224 mil crianças estão em situação de trabalho infantil.
 
O Plano Paraense de Erradicação do Trabalho Infantil é um documento inédito no estado e foi construído coletivamente. O Governo estadual chamou os órgãos da esfera estadual, municipal e representantes da sociedade civil para participar dos debates que deram origem ao documento.
 
Os principais articuladores do Fórum Paraense, que ajudaram a elaborar o Plano, são a Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), Secretaria Estadual de Educação (Seduc), Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos (SEJUDH), Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) e Ministério Público do Estado e Universidade da Amazônia (Unama).
 
Simão Bastos, presidente da Fasepa e do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e Adolescente, teve participação efetiva na construção do Plano. De acordo com Bastos, o documento ratifica 20 anos de construções e debates do Fórum Paraense de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção do Trabalho do Adolescente. “Esse direcionar do Plano fará com que todos os interessados que militam na causa possam ter os seus compromissos estabelecidos”, destacou.
 
Durante a entrega do Plano, 15 municípios estiveram representados. Manoel Barbosa, secretário de Assistência Social no município de Gurupá, destacou a importância da mobilização. “Meu município tem uma área rural muito extensa, com mais de 900 crianças e adolescentes em situação de trabalho. É muito importante que o governo do estado esteja chamando a responsabilidade de todos os municípios, com uma disposição coletiva nessa ação de fundamental importância que é a erradicação do trabalho infantil”, disse o secretário municipal.
 
A integração de forças e diretrizes em busca de um mesmo objetivo também foi destacada pelo secretário adjunto de ensino da Secretaria de Estado de Educação, José Roberto Silva. “Esse plano contribui especialmente também para o Pacto pela Educação no Pará”, ressaltou.
 

Fonte: Agência Pará de Notícias


Deixe seu comentário

Login

Comentários (4)

Karina Garcia

21 de Agosto de 2018 às 08:29:03
Onde encontro o documento do "Plano Paraense de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente Trabalhador ?

YANNE CRISTINE CRUZ BARRIGA

14 de Junho de 2018 às 11:00:18
Onde encontro o documento do "Plano Paraense de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente Trabalhador ?

CARMEN SUELY PINHEIRO DE OLIVEIRA

22 de Maio de 2018 às 23:40:45
Gostaria de obter cópia do Plno. Obrigada.

ANDRÉ CORDEIRO

02 de Junho de 2017 às 03:34:28
Onde encontro o arquivo do "Plano Paraense de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente Trabalhador ? 2016/2019"

Destaques

Juiz da Infância alerta sobre a proibição do trabalho infantil no carnaval de Salvador

O juiz Walter Ribeiro, da 1ª Vara da Infância e Juventude de Salvador, publicou portaria estabelecendo parâmetros protetivos para que crianças e adolescentes participem das festas de carnaval.

Incêndio no Flamengo, clube mais rico do país, acende alerta de segurança em categorias de base

Reportagem do jornal El País aborda as condições dos jogadores mantidos em categorias de base nos clubes de futebol brasileiros.

Banco Mundial lança plataforma interativa para observar avanços dos objetivos globais

A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável foi adotada pelos países-membros da ONU no fim de 2015.

Brasil é o 11º no ranking de abuso e exploração sexual infantil, revela relatório mundial

Reportagem da revista Crescer mostra dados do relatório Out of the Shadows, publicado pela revista britânica The Economist.