Fórum Estadual do Pará

  • Noticias

  • Agenda

  • Biblioteca

  • Contato

Notícia

05/11/2018 15:23:12 - Atualizado em 05/11/2018 15:23:12


Campanha da Justiça do Trabalho contra o trabalho infantil é destaque nas romarias do Círio de Nazaré

Iniciativa conta com a parceria do Fórum Estadual. Traslado e Trasladação mobilizaram uma rede de voluntários

A tarde já findava quando foi dado início a mais uma procissão noturna do Círio de Nossa Senhora de Nazaré, em Belém do Pará, e, durante toda a Trasladação, se destacou um pelotão formado por jovens,voluntários, magistrados, servidores e representantes de instituições parceiras que caminharam juntos pelas principais ruas do centro de Belém levando a mensagem de apoio à campanha de Combate ao Trabalho infantil, promovida pela Justiça do Trabalho da 8ª Região. Mais conhecida como Trasladação, essa romaria é uma das principais, por ser uma espécie de Círio noturno, quando milhares de pessoas caminham levado a imagem de Nossa Senhora de Nazaré até a Catedral de Belém.
 
"É uma caminhada com todos os alunos de bairros e comunidades diversas num grande pelotão por todo o percurso da Trasladação, mostrando a todos que acompanham a romaria que existe um movimento social da Justiça do Trabalho em prol da criança e do adolescente de nossa cidade,de nosso estado e do nosso país, porque a campanha é uma campanha nacional”, explicou a juíza Vanilza Malcher, uma das coordenadoras da campanha.
 
A campanha levou para as ruas pessoas como o Luan Gomes. O jovem de 21 anos é padrinho cidadão do projeto do TRT8. Na infância, Luan foi trabalhador infantil e hoje atua como um voluntário do projeto conscientizando outros jovens no combate a esse tipo de atividade. "Eu tinha 13 anos quando vendi doces na rua, também trabalhei numa oficina, trabalhava para ajudar nas despesas da minha casa. Mais tarde, já longe das ruas, Luan chegou a trabalhar como jovem aprendiz numa empresa de Belém na função de auxiliar administrativo, onde posteriormente foi contratado. "Hoje sou padrinho cidadão e tenho mais de 15 afilhados no projeto. A mensagem que eu deixo para todos é que nós acreditemos sempre na educação pois ela faz a mudança no ser humano. A gente precisa educar nossas crianças, elas têm direito de sonhar e nós estamos aqui para dar esse sonho, para que elas possam ser os nossos melhores profissionais no futuro."
 
A mobilização reuniu também representantes de instituições parceiras. O Ministério Público do Estado, através das promotorias de infância e juventude e promoção de cidadania, também está engajado no combate ao trabalho infantil e procura levar cidadania para as crianças. Cândida Nascimento, procuradora de justiça do Ministério Público do Estado, integrava o pelotão e disse que o problema é cultural e precisa mudar.  
 
Representantes do Fórum estadual de Combate ao Trabalho infantil também estiveram na Trasladação para contribuir com o trabalho em prol da infância. Norma Miranda, presidente do Fórum, disse que há necessidade de fortalecer as políticas públicas nessa área. "A campanha veio agregar ao Círio um grande desafio nosso, que é o combate ao Trabalho infantil. A cada ano ela cresce, a cada ano as pessoas têm conhecimento sobre o que trata a campanha. É agregar um trabalho dentro de uma festa maior e dizer que todos têm o dever de lutar para o enfrentamento do trabalho infantil. É a religião, são os agentes públicos, a sociedade civil, todos juntos por uma causa só."
 
Saiba mais em: https://goo.gl/avz3zp
 
 

Fonte: TRT 8ª Região


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

FNPETI participa da 2ª Jornada Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora

Fórum aborda a vulnerabilidade de crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil

Aumenta o número de crianças em situação de pobreza entre 2016 e 2017

IBGE divulga Síntese dos Indicadores Sociais. m 2017, dois em cada cinco trabalhadores do país eram informais

O gosto amargo do trabalho infantil e do trabalho escravo pode estar no chocolate

Para conscientizar os envolvidos na cadeia produtiva do cacau no Brasil, MPT e OIT divulgam pesquisa e documentário

Acesse o III Plano Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente Trabalhador

Plano abrange os anos de 2019 a 2022 e está disponível no site do FNPETI