Fórum Estadual da Paraíba

  • Noticias

  • Agenda

  • Biblioteca

  • Contato

Notícia

23/02/2017 20:42:00 - Atualizado em 23/02/2017 20:42:00


Muriçoquinhas: Campanha alerta contra violência infantil

Bloco fez um alerta contra a violência infantil, a fim de garantir a proteção de crianças e adolescentes

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh), em uma ação conjunta com a Rede de Proteção à Criança e Adolescente, participou, nessa segunda-feira (20), do desfile do Bloco Muriçoquinhas do Miramar, fazendo um alerta contra a violência infantil, a fim de garantir a proteção das crianças que levaram alegria para as ruas por onde passou.
 
A festa foi regada com pipoca, algodão doce e a distribuição do material sobre o Disque Estadual 123, que atende todos os dias a todo tipo de violação de direitos e funciona de forma sigilosa, além de monitorar os casos denunciados. A Paraíba é o primeiro estado a ter o próprio disque denúncia 123, o que facilita o acompanhamento dos casos.
 
Este foi o quarto ano que a Sedh participou do desfile do bloco Muriçoquinhas divulgando o serviço, e teve como foco especifico a violência sexual contra a criança e adolescente e a questão do trabalho infantil.
 
A gerente da Proteção Especial, Valeska Ramalho, considerou importante a participação do Disque 123. “Essa é uma ocasião oportuna para abarcar o maior número de famílias, adolescentes e turistas que estão nas ruas, e conscientizar que o carnaval é uma festa de maior vulnerabilidade e possibilidades que acontecem contra a violência sexual. Essa ação vem chamar a atenção e despertar a sociedade de que precisamos coibir esta prática juntos”, disse.
 
Já a vice-presidente do Conselho Estadual de Criança e Adolescente, Josiana Francisca da Silva, comentou o quão é relevante essa divulgação massiva. “Acredito que a gente tem que estar sempre nesses espaços para divulgar o 123 e com a bandeira de defesa dos direitos da criança e o adolescente”, observou.
 
Para o folião Darcildo Galvão, avô de Pietro, essa campanha é essencial para a sociedade. “É por meio de um trabalho educativo desses que pode se minimizar a violência contra as crianças, e que essa atividade se repita e possa continuar nas escolas”, disse.
 
Disque Denúncia – Para denunciar o trabalho infantil ou outro tipo de agressão existe o Disque 100, do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS). Outra forma também de denunciar é o Disque Estadual 123.
 

Fonte: PB Agora


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

Seminário ECA, 27 anos depois, debate trabalho infantil

Representantes do FNPETI, do FETIPAT-AL e do FEPETI-SE participam do encontro nesta semana em Alagoas

Menino de 14 anos morre após ser atropelado enquanto trabalhava

Adolescente trabalhava no Lixão da Estrutural, em Brasília

BA: Jovens de Salvador lançam peças de comunicação

Coletânea é resultado de formações com jovens de 15 a 29 anos, moradores de bairros periféricos

Fundação Abrinq lança nota técnica sobre pacto federativo

Lançamento ocorre durante seminário “Um município para acrianças e adolescentes”, promovido pelo Programa Prefeito Amigo da Criança