Fórum Estadual de Pernambuco

  • Noticias

  • Agenda

  • Biblioteca

  • Contato

Notícia

20/10/2016 14:36:11 - Atualizado em 20/10/2016 14:36:12


Pernambuco cria Comissão Permanente de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil

Objetivo é fortalecer as ações de enfrentamento ao trabalho infantil

O governo do Estado de Pernambuco criou, em outubro, a Comissão Permanente de Prevenção e Erradicação do Trabalho (COPETI/PE). De acordo com o governo estadual, a COPETI foi criada para fortalecer as ações de enfrentamento ao trabalho infantil. 
 
A iniciativa partiu da Executiva de Assistência Social (SEAS), da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude (SDSCJ), por meio do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI). O programa seguiu as orientações da Agenda Intersetorial do PETI e da demanda do Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA). 
 
A COPETI/PE atuará no âmbito dos programas, projetos, equipamentos e serviços voltados a enfrentar ou prevenir situações de trabalho infantil que repercutam em crianças, adolescentes ou seus familiares.
 
A Comissão vai desenvolver ações em consonância com os eixos das ações estratégicas do PETI: Eixo da informação e mobilização; Eixo identificação de crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil; Eixo proteção social para crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil; Eixo da defesa e responsabilização, e por último; e Eixo do monitoramento.
 

Fonte: Governo do Estado de Pernambuco


Deixe seu comentário

Login

Comentários (0)

Destaques

Trabalho infantil é tema de programa televisivo

Diálogo Brasil discute, com participação do FNPETI e do governo, aumento do trabalho infantil na faixa de 5 a 9 anos

Crianças e adolescentes lideram denúncias de violações dos direitos humanos

De acordo com levantamento do Disque 100, de 133 mil denúncias, 76 mil se referiam a pessoas com menos de 18 anos

Bebê de 3 meses é internado com hipotermia após gravar novela

Situação é inadmissível, configura trabalho infantil e exige a responsabilização de todos os envolvidos, alerta o FNPETI

Mais de 60% dos jovens fora da escola no Brasil têm de 15 a 17 anos

O salto no índice de crianças brasileiras de 4 a 5 anos matriculadas na escola, por outro lado, é significativo