Bahia

Fórum de Erradicação do Trabalho Infantil e Proteção ao Adolescente - FETIPA

Dra. Ana Virgínia – Representante da Defensoria Pública do Estado da Bahia

E-mail: ana.virginia@defensoria.ba.def.br

Andréa João – Representante do Instituto Brasileiro Pró-Educação, Trabalho e Desenvolvimento (ISBET)
E-mail: andreajoao.as@gmail.com

Melissa Lima – Representante do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA)

E-mail: mellimas2000@gmail.com

Gildete Britto – Representante da Diretoria de Vigilância e Atenção à Saúde do Trabalhador (DIVAST)

E-mail: gildetesodredebritto@gmail.com

Adriana Vieira – Representante da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza – Salvador

E-mail: petisalvador@hotmail.com

Situação do trabalho infantil no Estado 

Na Bahia havia, em 2019, 181.297 crianças e adolescentes de 5 a 17 anos de idade em situação de trabalho infantil, de acordo com a PnadC 2019. Dado que a população estimada na faixa etária de 5 a 17 anos no estado era de 2.908.222 no mesmo ano, o universo de crianças e adolescentes trabalhadores equivalia a 6,2% do total de crianças e adolescentes do estado, acima da média nacional que era de 4,8% do total.

Acesse no link abaixo um resumo do estudo "O trabalho infantil no Brasil: análise dos microdados da PnadC 2019", referente ao estado da Bahia.

Características do trabalho infantil nos estabelecimentos agropecuários 

Em 2017, havia no estado da Bahia 70.348 crianças e adolescentes com menos de 14 anos de idade em situação de trabalho, segundo dados do Censo Agropecuário de 2017. Destas, 52.913 se encontravam ocupadas em estabelecimentos da agricultura familiar, montante que representava 75,2% do total de crianças e adolescentes nesta condição. Na agricultura não familiar, haviam 17.435 crianças e adolescentes trabalhadores, ou 24,8% do total observado. 

Acesse abaixo a publicação “O Trabalho Infantil na Agropecuária Brasileira: uma leitura a partir do Censo Agropecuário de 2017”, referente a Bahia.