Mato Grosso do Sul

Fórum Estadual pela Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil e de Proteção do Adolescente no Trabalho

Cândice Gabriela Arosio - Representante do Ministério Público do Trabalho - PRT 24ª Região
E-mail: candicearosi@gmail.com; candice.arosio@mpt.mp.br ;
Cícero Rufino Pereira - Representante do Ministério Público do Trabalho - PRT 24ª Região
E-mail: crp@prt24.mpt.mp.br
Maria Aparecida Melo - Representante da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social e Trabalho - SETAS
E-mail: cpse@sedhast.ms.gov.br
Izildinha Netto Bueno Barbosa - Representante da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social e Trabalho - SETAS
E-mail: izildinhanetto@hotmail.com  
Gisele Augusta de Abreu Gomes
E-mail: ggomes@sedhast.ms.gov.br
Maria Aparecida Assunção Ribeiro - Representante da Universidade Católica Dom Bosco – UCDB
E-mail: cidocaassuncao@yahoo.com.br 
Leda Mara Bertoloto - Representante da Universidade Católica Dom Bosco – UCDB
Irmã Macário - Representante da Universidade Anhanguera – UNIDERP
E-mail: cctgssinterativa@uniderp.br
Ana Maria Vasconcelos Silva - Representante da Universidade Anhanguera – UNIDERP
E-mail: vasconsilva@hotmail.com   

Situação do trabalho infantil no Estado 

No Mato Grosso do Sul havia, em 2019, 29.660 crianças e adolescentes de 5 a 17 anos de idade em situação de trabalho infantil. Dado que a população estimada na faixa etária de 5 a 17 anos no estado era de 513.608 no mesmo ano, o universo de crianças e adolescentes trabalhadores equivalia a 5,8% do total de crianças e adolescentes do estado, acima da média nacional que era de 4,8% do total.

Acesse no link abaixo um resumo do estudo "O trabalho infantil no Brasil: análise dos microdados da PnadC 2019", referente a Mato Grosso do Sul.

Características do trabalho infantil nos estabelecimentos agropecuários 

Em 2017, havia no estado de Mato Grosso do Sul 9.389 crianças e adolescentes com menos de 14 anos de idade em situação de trabalho, segundo dados do Censo Agropecuário de 2017. Destas, 5.356 se encontravam ocupadas em estabelecimentos da agricultura familiar, montante que representava 57,0% do total de crianças e adolescentes nesta condição. Na agricultura não familiar, haviam 4.033 crianças e adolescentes trabalhadores, ou 43,0% do total observado. 

Acesse abaixo a publicação “O Trabalho Infantil na Agropecuária Brasileira: uma leitura a partir do Censo Agropecuário de 2017”, referente ao Mato Grosso do Sul.